segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Candidaturas & trajetórias pessoais na disputa partidária. Parte VIII: Referências

Referências

ÁLVARES, M. Luzia M. Mulheres na competição eleitoral: seleção de candidaturas e o padrão de carreira política no Brasil. 2004. 331 f. Tese de Doutorado. IUPERJ/UCAM, Rio de Janeiro, 2004. Digitado.

BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. 8ª Edição. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1995. vol. 1.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Matéria eleitoral: normas e decisões. Belém: TRE-PA, p. 11-42, 2004.

________. Lei n. 4737, de 15 de julho de 1965. Institui o Código Eleitoral. Matéria eleitoral: normas e decisões. Belém: TRE-PA, p. 45-152, 2004.

________. Lei n. 6767, de 20 de dezembro de 1979. Modifica dispositivos da Lei nº 5.682, de 21 de julho de 1971 (Lei Orgânica dos Partidos Políticos), nos termos do artigo 152 da Constituição, alterado pela Emenda Constitucional nº 11, de 1978; dispõe sobre preceitos do Decreto-lei nº 1.541, de 14 de abril de 1977, e dá outras providências. . Acesso em: 09 jan 2005.

________. Lei n. 9096, de 19 de setembro de 1995. Dispõe sobre partidos políticos, regulamenta os arts. 17 e 14 § 3º, inciso V, da Constituição Federal. Matéria eleitoral: normas e decisões. Belém: TRE-PA, p. 199-217, 2004.

________. Lei n. 9504, de 30 de setembro de 1997. Estabelece normas para as eleições. Matéria eleitoral: normas e decisões. Belém: TRE-PA, p. 155-196, 2004.

CAIN, Bruce, FEREJOHN, John e FIORINA, Morris. The personal vote: Constituency Service and Electoral Independence. Cambridge, Harvard University Press. 1987.

CAREY, John e SHUGART, Matthew S. (1996), Incentives to cultivate a personal vote: A Rank Ordering of Electoral Formulas. Electoral Studies, vol. 13, nº 4, pp. 417-439.

CARREIRÃO, Yan de Souza. A decisão do voto nas eleições presidenciais brasileiras. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2002.

COLEMAN, John J. The benefits of campaign spending. Cato Institute.2003.

DAMATTA, Roberto. Carnaval, malandros e heróis. Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1999.

DOWNS, Anthony. Uma teoria econômica da democracia. São Paulo: Edusp, 1999, p. 25-42.

FIGUEIREDO, Argelina & LIMONGI, Fernando G. P. Partidos políticos na Câmara dos Deputados: 1989-1994. Dados, vol. 38, nº 3, pp. 497-524.

FLEISCHER, David V. Sistema partidário brasileiro, 1945-1997. Revista Brasiliense de Políticas Comparadas, v. 1, n. 2: 227-257, 1997.

GRYNSZPAN, Mario. Ciência, política e trajetórias sociais: uma sociologia histórica da teoria das elites. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1999.

LIMA JÚNIOR, Olavo Brasil. Partidos, eleições e poder legislativo. In : MICELI, S. (org.). O que ler na ciência social brasileira (1970-1995). São Paulo: Sumaré, 1999.

KINZO, Maria D'Alva Gil. O impacto da competição partidário-eleitoral sobre o eleitorado brasileiro. Seminário “A reforma política: discutindo como se reconstrói um país”. 03-05/06/2003. Câmara dos Deputados. Agência Câmara. Disponível em . Acessado em ago 2003.

MAINWARING, Scott. Sistemas partidários em novas democracias: o caso do Brasil. Porto Alegre: Mercado Aberto; Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2001.

MICHELS, Robert. Sociologia dos partidos políticos. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1982.

MOTTA, Rodrigo P. S. Introdução à história dos partidos políticos brasileiros. Belo Horizonte: UFMG, 1999.

NICOLAU, Jairo Marconi. História do voto no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 2002.

_________. Voto personalizado e partidário no Brasil: uma análise das eleições de 2002. Seminário “A reforma política: discutindo como se reconstrói um país”. 03-05/06/2003. Câmara dos Deputados. Agência Câmara. Disponível em . Acessado em ago 2003.

_________. Sistemas eleitorais. 5ª edição. Rio de Janeiro. Fundação Getúlio Vargas, 2004.

OLSON, Mancur. A lógica da ação coletiva. São Paulo: Edusp, 1999, p. 17-48.

PONTES Jr., Felício. Corrupção eleitoral: a compra de votos. Palestra proferida no IV Seminário de Direito Eleitoral. 27-28/05/2004. TRE/PA. Gravado.

RESULTADOS de eleições. Guia do Eleitor. Apresenta resultados das eleições de 1992 a 2004. Disponível em: . Acessado no período de jul 2004 a fev 2005.

SAMUELS, David. Determinantes do voto partidário em sistemas eleitorais centrados no candidato: Evidências sobre o Brasil. Dados, 1997, vol.40, no.3. ISSN 0011-5258.

SANTOS, Fabiano. Patronagem e poder de agenda na política brasileira. Dados, 1997, vol.40, no.3. ISSN 0011-5258.

SARTORI, Giovanni. Partidos e sistemas partidários. Rio de Janeiro: Zahar Editores; Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1982.

SEILER, Daniel-Louis. Os partidos políticos. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2000.

SILVEIRA, F. E. A dimensão simbólica da escolha eleitoral. In: FIGUEIREDO, R. (org.). Marketing político e persuasão eleitoral. São Paulo: Fundação Konrad Adenauer. 2000.

SINGER, A. Esquerda e direita no eleitorado brasileiro. São Paulo: USP. 1999.

SOUZA, Amaury. O sistema político-partidário. In: JAGUARIBE, Hélio (org.). Sociedade, Estado e Partidos na Atualidade Brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. p. 157-198.

SPECK, Bruno Wilhelm. A compra de votos: uma aproximação empírica. Opin. Publica, maio 2003, vol.9, no.1, p.148-169. ISSN 0104-6276.

VEIGA, Edir. Formato e evolução do sistema partidário do Pará – uma análise comparada: 1945-62 e 1986-98. Dissertação de Mestrado. IUPERJ/UFPa. 1999.

Nenhum comentário: